Obesidade
(gordura em excesso)

Estado que se caracteriza pela acumulação excessiva de gordura no tecido subcutâneo e à volta de certos órgãos internos. Há situações em que se mesclam o acúmulo de gordura com retenção de líquidos , seja devido a fatores endócrinos, renais, circulatórios ou hepáticos. A tendência familiar ou hereditária é muito importante. O conceito comum entre médicos, nutricionistas e leigos pode resumir-se em que os obesos são pessoas que comem excessivamente, além das necessidades energéticas normais. Atualmente, porém, se reconhece o fato de que muitos obesos podem manter-se assim seguido de uma dieta de baixo teor calórico, enquanto que muitos magros não engordam mesmo ingerindo grandes quantidades de alimentos energéticos. A ingestão excessiva de hidratos de carbono, açúcares concentrados (sacarose) e demais produtos calóricos está diretamente relacionada com o aumento de peso, na maioria dos casos.
Alimentação: As dietas de restrição calórica são questionadas quanto à sua eficácia no tratamento da obesidade ou mesmo na simples tendência ao aumento de peso. Tem-se gradativamente abandonado a abordagem quantitativa e se encaminha para uma visão dietética mais qualitativa, com bases no fato que a obesidade não é um  fenômeno isolado, mas um reflexo de uma desarmonia do conjunto orgânico. embora o balanceamento dietético quantitativo(energético, protéico,lipipídio, vitamínico e mineral) seja impotante, ele não é tudo; sabe-se que a qualidade biológica e energética dos alimentos ingeridos influi diretamente na condição metabólica, nos mecanismos de compensação, nos processos biológicos intrìncecos de feedback (retroalimentação), notadamente no terreno hormonal. Desse modo, a medicina holistica compreende que uma dieta equilibrada, rica em produtos naturais, frescos, leves, nutritivos, preferencialmente orgânicos e necessáriamente integrais, é um caminho muito melhor e mais inteligente para a manutenção  do peso corporal. Obviamente que toda dieta deve ajustar-se aos hábitos do indivíduo e certas orientações são fundamentais. como por exemplo: fazer no mínimo duas refeições ao dia, evitando ingerir alimentos a toda hora, pois isto favorece os acúmulos e as retençoes. Obedecer a horários fixos das refeições, mas só se alimentar se houver fome real, e não compulsão em busca de sabores e prazeres fúteis e passageiros. Mastigar muito bem os alimentos. Fazer as refeições com serenidade e sem pressa. É mais saudável suprimir uma refeição do que ingerir apressadamente os alimentos ou sob tensão. Não tomar líquidos às refições, somente um chá apropriado logo após as mesmas. Evitar ingerir alimentos muito tarde, à noite. Evitar dormir após as refeições, mesmo durante o dia, optando por caminhar um pouco. Manter sempre os intestinos funcionando bem . Praticar esportes, ginástica ou trabalhos físicos com regularidade. Obedecer a combinação bioquímica adequada dos alimentos. A compulsão aos alimentos deve ser trablhada por meio da disciplina dos hábitos. As dificuldades iniciais cedem após dias ou mesmo semanas de treinamento.
Ervas e alimentos que auxiliam: Porangaba (folhas em infusão), jasminum arabicum(folhas secas de café - folhas em infusão), arroz integral e creme de arroz integral, douradinha-do-campo. malva.
 
 



  <<  Voltar ao Índice de Doenças      |    Página Inicial